A Mãe da Pureza

“Entrando o anjo disse-lhe: ‘Ave Maria cheia de graça, o Senhor é contigo’. Perturbou-se ela com estas palavras e pôs-se a pensar no que significaria semelhante saudação. O anjo disse-lhe: ‘Não temas, Maria, pois encontraste graça diante do Deus’.” (Lc 1, 28-30)

Maria encontrou graça diante de Deus, por isso, seu coração exultou em Deus, porque o Senhor olhou para sua pobre serva (Lc 1, 47-48), e escolheu a jovem Maria, para ser mãe do Salvador. O Verbo se fez carne (Jo 1, 14) na carne de Maria. O ventre de Nossa Senhora recebeu o poder divino, o Espírito de poder a cobriu (Lc 1, 35), e ela foi feita bendita entre as nações (Lc 1, 48), e foi inserida no plano de salvação, com grande papel, com lugar de destaque, por escolha de Deus.

Nós pecamos sem Deus, mas Deus não quis nos salvar sem nós. Por isso Ele foi escolhendo ao longo da história do povo profetas, servos e servas para serem instrumentos de conversão e salvação para o povo. Moisés, Josué, Davi, Elias, Eliseu, Jeremias, Isaías, entre tantos outros, foram instrumentos nas mãos do Senhor, e cada um, conforme concessão de Deus, deu sua contribuição para o plano do Senhor. Sempre, pra ouvirmos o Senhor nós precisamos aceitar seus escolhidos, e acolher suas palavras, que sempre foram ‘palavras de salvação’, porque quando um filho de Deus fala na unção, fala inspirado por Deus, ele fala palavras que serão instrumentos na nossa salvação.

O evangelho de São Lucas começa contando a história da encarnação de Jesus no ventre de Maria. Evangelho quer dizer boa nova, e quando lemos a boa nova na liturgia dizemos no final “Palavras da salvação”, no primeiro capítulo de Lucas, Maria nos ensina a dizer como ela as palavras de salvação, a expressão que nos leva a atingir como ela o ápice da obediência e da humildade: “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra!” (Lc 1, 38). Assim começa as palavras de nossa salvação, pois antes de Jesus falar, ecoou na historia da humanidade esse ‘sim’ de Maria. Cada servo do Senhor que passou pela história de salvação teve seu papel, mas nenhum deles teve um papel tão sublime quanto o de Maria, que simplesmente quis  ser vontade de Deus, que teve uma história de pureza e santidade, mas ao dizer seu sim, sua história virou também história de salvação, porque Jesus entrou na sua vida, e quando Jesus entra e aonde ele entra, entra a salvação, assim como foi com Zaqueu (Lc 19, 5 e 9), quando Jesus entra no ventre de Maria, a salvação entra no mundo.

A humildade de Maria permitiu que ela fosse “mãe do meu Senhor” (Lc 1, 43), porque por mais que o seu papel fosse importante e ela fosse proclamada bem aventurada entre as nações, ela sabia que jamais seria o centro, ela sabia que jamais seria adorada, e sabia que, através dela viria ao mundo a grande estrela da manhã, e que ela nunca poderia brilhar mais que Jesus. Maria soube se colocar em seu lugar, sendo a virgem do silêncio, até mesmo nos tempos apostólicos, sendo os apóstolos os protagonistas da evangelização. Grande é a humildade de não falar de si mesma, para que apenas o outro cresça, Maria nos dá o grande exemplo de como sumir para somente Cristo aparecer. A sua pureza não conheceu ciúme ou inveja, nem mesmo egoísmo, pois recebeu a missão ser de mãe de um filho que morreria por todos, pra isso, ela deveria ser alguém pura, alguém que amasse a Deus sobre todas as coisas, porque só é possível amar a humanidade se o amor de Deus está acima de tudo, só é possível amar a Deus assim na pureza de coração, sem desapegos, sem barreiras. Maria foi a pura de coração que viu a Deus. (Mat 5, 8)

Assim como Abraão é o pai dos que crêem, Maria é a mãe de todos que foram batizados em cristo, como Jesus disse a João na cruz e ele levou Maia pra casa (Jo 19, 27), e levar pra casa é amar, é estar em comunhão, é ser família. Jesus diz pra nós, “Eis aí tua mãe”, ou seja, leve pra casa, ame, respeite, siga seu exemplo. Maria por natureza é nossa irmã, assim como Abraão, pois são filhos de Deus, mas por graça Abraão é pai de muitos, de todos os que crêem, e também por graça Maria é mãe de todos os cristãos. Maria é a grande educadora do cristianismo depois de Jesus, porque ela é a nova Eva, e com sua vida nos mostra como ser servos do Senhor, e fazer apenas sua vontade, não querendo ter razão e não duvidando da ação do Senhor! Como por um homem entrou a condenação no mundo por um homem entrou e salvação (Rom 5, 17), assim pela desobediência de uma mulher entrou o pecado (Gen 3, 6), pela obediência de uma mulher entrou a salvação (Lc 1, 38). Louvado seja Deus por sua serva Maria, nossa mãe, nossa rainha! Glórias ao Pai ao Filho e ao Espírito Santo, como era no princípio agora e sempre! Amém!

Carlos Maximiliano
Vila Velha - ES
Grupo de Oração Poder de Deus

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • Twitter
  • RSS

0 Response to "A Mãe da Pureza"

Postar um comentário